• Flávia Carvalho

O que eu aprendi no morro! :O


Há alguns dias, gravei um vídeo para o IGTV com esse mesmo título: O QUE APRENDI NO MORRO! :O 


Não sei se esse vídeo chegou até você no Instagram (@flaviacarvalhocoach), mas devido aos feedbacks que recebi quero falar um pouco mais desse assunto por aqui, pode ser?


Caso você queira assistir, acabei de colocá-lo no Youtube, então só dar o play! :) 




Bom, eu era uma garota de 20 anos quando tirei a minha habilitação, morava na cidade de São José dos Campos - SP com a minha avó, e o que não contei no vídeo é que eu não havia passado de primeira no exame da auto escola, então, aquilo que já era algo desafiador naquele momento da minha vida, tinha um peso ainda maior na minha cabeça.


Isso é engraçado, pois se você parar para pensar, fases rápidas e momentâneas de "acertos e erros" muitas vezes tem uma grande influência sobre quem nós achamos que somos, sobre a determinação do nosso potencial e sobre onde somos capazes de chegar. Exemplo: uma situação pontual que aconteceu com você, pode ter feito você duvidar de você mesmo, da sua capacidade por algum tempo. Acredite! Existem pessoas que levam essa crença a vida inteira. Nunca se sentem boas o suficientes por conta de "fracassos" que tiveram há muito tempo atrás.


Enfim, o que eu quero te falar, é que passando por São José dos Campos, me peguei subindo uma das avenidas da cidade (Av. Iguape) que me dá um fácil acesso ao bairro que eu morava (minha avó mora lá até hoje) e lembrei do tempo que eu era recém habilitada e evitava aquela subida (morro), por MEDO de pegar trânsito e ter que fazer rampa, ter que diminuir a marcha (o que pra mim não era uma tarefa simples e automática como é hoje). rs


Acredito que você saiba do que estou falando, pois quase todo mundo passa ou já passou por alguma experiência assim, mesmo que de formas ou lugares diferentes. O fato é que,  ATÉ OS NOSSOS MEDOS E INSEGURANÇAS PRECISAM EVOLUIR


Hoje, ao passar dirigindo pelos mesmos lugares que me "assombravam" antigamente, vejo que aquelas inseguranças que eu tinha, não são nada perto dos grandes desafios que eu tenho hoje. Se eu cresci, os meus medos também precisam crescer na mesma proporção da minha evolução. Sendo assim, reflita comigo: Os seus receios são os mesmos que você tinha há anos atrás? Você ainda luta contras as mesmas coisas? Se sente travado nos mesmos desafios?


Se ATÉ OS NOSSOS MEDOS E INSEGURANÇAS PRECISAM EVOLUIR, imagina eu e você... por inteiro e por completo! 


Pense nisso e esteja focado em seu desenvolvimento este ano. Não dá para vencermos os novos desafios propostos por um mundo em constante mudança, se permanecermos sempre os mesmos.


Vamos juntos?


Um grande abraço!


Flávia Carvalho

6 visualizações